Notícia: Cientista protestante assume a Academia de Ciências do Vaticano

 

     Werner Arber, biólogo molecular suíço, ganhador do Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina, em 1978, é o primeiro protestante a presidir a Pontifícia Academia de Ciências que é um conselho ocupado por grandes nomes da ciência mundial, que orienta o Papa em questões científicas.

     A Academia tem 80 membros, entre homens e mulheres e apesar de não ser uma exigência, a maioria deles é católico. Werner Arber é membro do conselho papal há 30 anos e há três meses se tornou presidente da instituição.

     Sua principal função no posto é acompanhar o progresso das ciências, analisar o que este significa para a sociedade e informar ao Vaticano sobre as nossas reflexões.

     Perguntado se sua religião faz com que ele seja tratado de forma diferente, o suíço diz não tem como responder por falta de referências, mas que se tornou presidente “porque as pessoas perceberam que sou um cientista que demonstra ter um amplo campo de interesses”.

     Arber diz em entrevista ao Swissinfo, um serviço do governo suíço de divulgação, que o Papa raramente manifesta algum tema de interesse para ser analisado e que um dos temas sugeridos por ele foi sobre determinar se uma pessoa está morta quando seu coração ou o cérebro param.

     Sobre isso a Academia chegou à conclusão que a morte do cérebro é mais importante do que a do coração. “É possível reanimar alguém depois que seu coração cessa de bater,” lembra o cientista. O assunto é muito complexo e o suíço lembrou também de pessoas que vivem por muitos anos em estado de coma.

    “O Vaticano interessa-se pela pergunta: qual é o momento em que a alma abandona o corpo. Obviamente não foi possível respondê-la do ponto de vista científico”, disse.

Fonte: Gospel Prime

Com informações Inovação Tecnológica

Postagens mais visitadas deste blog

O Crente Tíquico

Deus existe sim! Argumentos sobre a existência de Deus.

Dúvida bíblica: Qual a diferença entre alma e espírito?