O Crente Tíquico

“Tíquico, nosso querido irmão, trabalhador fiel e companheiro no serviço do Senhor, 
levará a vocês todas as notícias minhas”.
(Colossenses 4. 7 - NTLH)

    A história de um simples crente

   Você já ouviu falar de Tíquico? Seu exemplo nos ensina que todos os cargos e responsabilidades que recebemos na igreja são importantes, até mesmo se tivermos a responsabilidade de entregar recados de uma pessoa para outra(s). O título deste cargo? Poderia ser um título que expressasse bem o que é feito, tanto o trabalho quanto a responsabilidade em desempenhá-lo. Que tal alguma coisa do tipo “O Irmão Pombo-Correio”? Ou ainda “O Irmão Urgêncio” (sugerimos esse nome porque todos os recados que se recebe para comunicar são recados “urgentes”), ou o irmão “Leva-e-traz” (Não, esse título não. Quem receber um cargo com esse título pode ser confundido com o “fofoqueiro da igreja”. Ninguém aceitaria um cargo assim, com esta designação). 

    Porém, Tíquico aceitou.


    Quem era Tíquico? Ele era um tipo de “Pombo-correio” do Apóstolo Paulo. Um “irmão Urgêncio”.

   Alguns anos atrás lá estava Tíquico, passeando pela praça quando ouviu Paulo pela primeira vez, pregando o evangelho. Muitas pessoas se ajoelharam confessando Cristo como Salvador naquela noite, e Tíquico estava entre eles. Uma nova igreja foi fundada naquela cidade. Agora esta congregação deveria ser organizada e os cargos e responsabilidades deveriam ser distribuídas. A irmã Febe ficaria na Liderança do Círculo de Oração, os irmãos Aristóbulo, Andrônico e Júnias seriam auxiliares do irmão Epafrodito, que seria o pastor responsável pelos campos das igrejas em Colossos, Hierápolis e Laodicéia (Cl 1.7; 4.3). E Timóteo seria o pastor presidente da igreja em Éfeso (1Tm 1. 3). 

     Todos estavam com os seus cargos. Inclusive os que seriam os “Encarregados pelo Departamento de Recepção Eclesiástica” (Um cargo mais conhecido como “porteiro da igreja”). Tíquico havia sobrado. Tentou ser um presbítero, mas não deu certo; ele era muito jovem. Tentou ser um dos auxiliares do pastor Epafrodito e não conseguiu. Esforçou-se até para poder ser um dos professores da Turma infantil da Escola Bíblica Dominical, mas as crianças já tinham a irmã Priscila como professora. 

     Que pena! Tanta vontade de trabalhar, mas nenhuma oportunidade...

    Foi quando o Pastor e Apóstolo Paulo colocou a mão no ombro de Tíquico, trouxe-o até o púlpito e falou no microfone para toda a igreja ouvir: “este irmão aqui, está com cara de quem quer um cargo. E ele está com sorte, porque falta ainda um cargo ser suprido, e é um dos mais importantes!”. Era o cargo dos que deixavam recados para o pastor. Paulo então diz: “Tíquico será o nosso ‘Leva-e-traz recados’”.

    Muitos irmãos de hoje, orgulhosos como são, se enfureceriam com tal proposta. É interessante que Tíquico não se ofendeu com isso. Ele apenas assumiu seu cargo com prazer e assumiu sua responsabilidade. Depois de vários anos como “Leva-e-traz recados” do apóstolo Paulo, Tíquico é recomendado pelo apóstolo Paulo como um “irmão amado”, um “fiel ministro” e como um “conservo no senhor”.

    Afinal de contas, o cargo e o trabalho de Títico não eram tão desprezíveis assim. Na verdade foram oportunidades que Tíquico teve de revelar suas qualidades e demonstrar seus talentos. Vejamos as qualidades de Tíquico, recomendadas por Paulo aos irmãos de Colossos, estas se tornaram no seu Curriculum Vitae :

I. Irmão amado (ἀγαπητὸς ἀδελφὸς, Aghapetos adelfos). 

     Tíquico tornou-se querido por Paulo e amado pelos irmãos em todas as igrejas por onde passava para entregar seus recados. Seu nome inspirava a simpatia das pessoas; significava “afortunado”, “aquele que tem sorte”. Sua simpatia era contagiante. Ele era a pessoa certa para entregar más notícias, pois não era daqueles que faziam o maior suspense. Sabia muito bem suavizar o impacto mau das más notícias e enaltecer o sentido e o prazer de se ouvir notícias boas. Ele foi chamado de “irmão amado” porque amava o que fazia. Isto é uma prova do seu amor pelo seu trabalho, pelos seus irmãos e pelo seu Senhor. Tíquico é um exemplo de alguém que trata a todos amorosamente e é recompensado na mesma moeda, com o mesmo amor.

    Infelizmente poucos têm a mesma disposição e o mesmo amor à obra de Deus como o irmão Tíquico. No entanto, se seguirmos estas recomendações abaixo, tudo vai mudar para melhor: 

1Co 15. 58 – “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor”.

Ef 6. 6, 7 – “Não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus; servindo de boa vontade como ao Senhor e não como aos homens”.

Cl 3. 17 – “E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai”.

     Mas o segredo de Tíquico, que deve ser imitado por todos nós está em 1Co 16. 14, RA – “Todos os vossos atos sejam feitos com amor”.

II. Fiel ministro (πιστὸς διάκονος, pistos diakonos). 

     Πιστὸς (Pistos= fiel) é o nome dado àquela pessoa que crê nas promessas de Deus e vive pela fé nelas (1Jo 3. 3, 22, 23). Imagine que grande honra. Primeiro, chamado pelo próprio apóstolo Paulo de “irmão a quem eu amo” e agora de “fiel ministro”. Ministro? Sim, ministro. E mais: um “fiel” ministro! É outra coisa que está rara em nosso meio: ministros fiéis, ministros em quem Deus e o rebanho possam confiar. Nunca vi um porteiro ser chamado de “ministro das portas da igreja”, mas Tíquico, um simples mensageiro de recados, depois de servir anos ao apóstolo Paulo, foi chamado de ministro fiel. Este elogio Paulo repete a Tíquico em Ef 6. 21! A palavra grega usada por Paulo para expressar Tíquico como um “ministro” é a mesma palavra para diácono (em grego, servo, servente). 

      Em 2Tm 4.12 Paulo afirma que mandara Tíquico aos irmãos efésios. Possivelmente foi ele quem levou a espístola que conhecemos como “de Paulo aos Efésios”. Seu serviço requeria grandes responsabilidades e o dever de ser fiel.

     Sobre a fidelidade dos ministros a Palavra de Deus recomenda:

Pv 13. 17 – “Um mau mensageiro cai no mal, mas o embaixador fiel é saúde”.

Pv 25. 13 – “Como frieza de neve no tempo da sega, assim é o mensageiro fiel para com os que o enviam; porque alegra a alma dos seus senhores”.

1Co 4. 1, 2 – “Que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus. Além disso, requer-se nos despenseiros que cada um se ache fiel”.

2Co 2. 17 – “Porque nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus; antes, falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus na presença de Deus”.

3Jo 5 – “Amado, procedes fielmente em tudo o que fazes para com os irmãos e para com os estranhos”.

III. Conservo no Senhor (σύνδουλος ἐν Κυρίω,ͅ sundoulos en kurio)

      A palavra grega σύνδουλος (sundoulos) tem o sentido de “servo igual aos outros, conservo”. Paulo, ao chamar Tíquico de “conservo” estava reconhecendo não só seu sentimento de amor de fidelidade, mas também seu sentimento de humildade. Em outras palavras, Tíquico não se achava superior a nenhum outro servo de Deus, por menor que fosse. Tíquico se considerava “um servo igual aos outros”, igualmente necessário, igualmente útil e igualmente dedicado ao serviço à Cristo.

     É exatamente por isso que Cristo disse que quem quiser ser o maior deverá ser o menor, de acordo com seu exemplo (Mc 10. 42-45). Note a frase “ser servo de todos”, que se repete em Mc 9. 35. Ela nos faz lembrar do que está escrito em Lc 22. 27 e em Fp 2. 5-8. A Bíblia nos ensina que a humildade é um tipo de riqueza espiritual, interior (Pv 13. 7). Quanto mais você servir aos outros, quanto mais se doar aos outros, mais você receberá (Lc 6. 38)! Foi o que Pedro (1Pe 5. 5) e Tiago (Tg 4. 6) ensinaram, e foi o que Paulo viveu na prática: ele se fez servo de todos para ganhar ainda mais (Veja 1Co 9. 9). Seu objetivo era ganhar mais graça para poder ganhar mais almas para Cristo.

     Vejamos alguns trechos do que a Bíblia ensina sobre a humildade :

Sl 138. 6 –Ainda que o SENHOR é excelso, atenta para o humilde; mas ao soberbo, conhece- o de longe.

Is 66. 2 – Porque a minha mão fez todas estas coisas, e todas estas coisas foram feitas, diz o SENHOR; mas eis para quem olharei: para o pobre e abatido de espírito e que treme diante da minha palavra.

Lc 14. 8-10 –Quando por alguém fores convidado às bodas, não te assentes no primeiro lugar, para que não aconteça que esteja convidado outro mais digno do que tu, e, vindo o que te convidou a ti e a ele, te diga: Dá o lugar a este; e então, com vergonha, tenhas de tomar o derradeiro lugar. Mas, quando fores convidado, vai e assenta-te no derradeiro lugar, para que, quando vier o que te convidou, te diga: Amigo, assenta-te mais para cima. Então, terás honra diante dos que estiverem contigo à mesa.

Rm 12. 3 – Porque, pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não saiba mais do que convém saber, mas que saiba com temperança, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um.

2Tm 2. 24 - E ao servo do Senhor não convém contender, mas, sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor;

Tg 4. 10 – Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará.

CONCLUSÃO

        Precisamos desesperadamente de irmãos como Tíquico! Irmãos que não estejam interessados em galgar uma posição de prestígio na sociedade aproveitando-se da honra do seu cargo; irmãos que mesmo tendo um cargo humilde possam efetuar suas responsabilidades com amor, dedicação e fidelidade. Precisamos de trabalhadores que façam a obra do Senhor para agradar ao Senhor da obra e não aos outros obreiros da obra do Senhor (Gl 1. 10). Carecemos de obreiros aprovados como o irmão Tíquico, que sabia fazer rir os enfermos que visitava, ao mesmo tempo em que sabia consolar aqueles que ele tinha que dar notícias tristes. Que Deus presenteie a sua obra com irmãos como Tíquico, que não desprezem os outros irmãos por acharem que só porque têm um cargo “mais elevado” são melhores do que os outros. Tíquico sabia que se se dedicasse, receberia um galardão tão grande quanto o de Paulo. Por isso igualou Tíquico a si mesmo, quando o chamou de “conservo”, ou seja: “um servo de Deus igual a mim”. É por isso que diz a Bíblia que “diante da honra vai a humildade” (Pv 15. 33). 

     A propósito, querido irmão leitor, você tem feito com amor a obra que Deus lhe deu? (1Co 15.58).

Postagens mais visitadas deste blog

Deus existe sim! Argumentos sobre a existência de Deus.

Dúvida bíblica: Qual a diferença entre alma e espírito?